Por que terceirizamos nossas decisões?


Decidir não é uma tarefa fácil! Por este motivo é que nos responsabilizarmos por uma decisão é tão difícil.


Durante a infância não somos cobrados por essa ação com tanta frequência e mesmo quando isso ocorre, são casos simples e que alguém será responsável pelas consequências do caminho que escolhermos. Chegando na adolescência essas decisões vão se tornando cada vez mais complexas, incluindo a terrível escolha de qual carreira iremos escolher para o resto da nossa vida (como a nossa sociedade prega).


Particularmente não gosto de classificar as decisões em certas ou erradas, na verdade, cada caminho produz efeitos diferentes e terá consequências específicas. E também, no meu ponto de vista, é o fato de falarmos em certo ou errado, que torna essas escolhas ainda mais complicadas. E talvez aí esteja a grande questão do terceirizar a tomada de decisão, pois ao nomear um caminho como errado porque as consequências foram desagradáveis ou maiores do que esperávamos, virá junto um sentimento de frustração e culpa por não ter sido capaz de decidir pela opção que, depois de tudo, passamos a ver como certa.


Essa história de responsabilizar os outros pelas decisões que tomamos acontece o tempo inteiro com muitas pessoas, seja no curso que vai prestar vestibular, em uma mudança de emprego, na decisão por comprar ou não algo, fazer uma viagem, mudar de cidade, terminar um relacionamento e muitas outras situações do nosso cotidiano.

Com base nisso, trago uma questão para refletirmos:


Se muitas vezes, sabemos qual caminho queremos seguir, mas ficamos apenas torcendo que outra pessoa tome a decisão por nós ou buscando a aprovação de terceiros para compartilhar o sentimento de culpa que poderá vir no futuro caso não aconteça tudo como nós planejamos, por que não fazemos logo nossa escolha e colocamos em prática aquilo que entendemos que será melhor para a nossa vida? Por que ficamos sofrendo e lamentando em cima do muro?


Por fim, compartilho aqui algo que aprendi com o Coaching que me ajuda nas tomadas de decisões. O famoso método Socrático, em que avaliamos os prós e contras das opções que temos e trazemos do mundo imaginário para o concreto (em um papel mesmo), enxergando o cenário de um ponto de vista diferente e obtendo mais ferramentas para finalmente fazer uma escolha e arcar com as consequências desta.


André Cazé

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo