Quantas vezes estamos nos abandonando?


Ontem li uma frase do Augusto Cury que me deixou umas horas pensativo:


“Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável.”


Ora, fiquei pensando, não seria tudo solidão? Qual a diferença entre se sentir sozinho porque fomos abandonados por outras pessoas e se formos abandonados por nós mesmos?


Pensei por várias horas, até cochilei nesse meio tempo…(risos)


E me veio um insight. Quando somos abandonados pelo mundo, ainda existe um ser dentro de nós que nos faz companhia. Esse ser, alguns chamam de Deus, Alá, Oxum, Espírito de Luz, Fé, Força interior, incosciente, etc. Mas ainda existe alguma coisa ou alguém, dentro de nós, nos guiando para sair da solidão.


E o quando a solidão é causada por um abandono de nós por nós mesmos? Como é se sentir sozinho e não encontrar fora ou dentro de você, um motivo, uma força para sair da solidão?


Vivemos em um mundo cada vez mais conectado e ainda mais cheio de solidão. Pais que não conhecem seus filhos, amigos que acham que conhecem seus amigos.


A solidão é tanta que quando pergunto a um paciente ou a mim mesmo: o que você mais gosta de fazer por você? O silêncio geralmente é a resposta.


Precisamos sermos mais companhias de nós mesmos, não nos abandonarmos e acreditar, que por mais difícil que seja, devemos manter nossos propósitos.


Ótima semana e tente não se abandonar.


André Cazé

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo